Manual para contratar uma gráfica: 11 Termos de gráfica Explicados para qualquer um entender

Manual para contratar uma gráfica

manual para contratar uma gráfica

Cedo ou tarde, todo mundo um dia vai precisar contratar uma gráfica.

E quando esse dia chega, o caminho mais natural é você pesquisar uma na internet.

Mas para sua surpresa, você descobre que existem diversos termos que nunca viu na vida.

E isso gera um monte de dúvidas, tanto para decidir de qual gráfica comprar, quanto para escolher qual é o melhor produto para a sua necessidade.

Nesse artigo, você vai ter acesso aos 11 termos que mais geram dúvidas na hora de contratar uma gráfica.

E prometo explicar de uma maneira fácil, para qualquer pessoa entender.

 

4×4 cores, 4×0 cores, 1×0 cores, etc

contratar uma gráfica

Esses são de longe os termos que os clientes de gráfica mais se assustam.

Mas a verdade é que tudo pode se tornar simples.

Veja…

A intenção aqui não é ter uma explicação técnica da coisa toda.

Pelo contrário, é ser simples e rápido. (Like a Fox)

Então vamos lá.

Em termos gerais, funcionam assim:

  • 4×4 cores: impressão colorida na frente e no verso;
  • 4×0 cores: impressão colorida somente de um lado;
  • 1×1 cores: impressão em tons de preto na frente e no verso;
  • 1×0 cores: impressão em tons de preto somente de um lado.

Apesar de não querer ser muito técnico… Preciso deixar claro que o 1×0 não significa necessariamente que será tons de preto. Mas, nos dias de hoje, é mais comum que seja o preto sim : )

 

Vamos lá, próximo termo…

Resolução

Resolução

O segundo lugar vai para: Resolução.

Na verdade, o Termo “Resolução” até não causa tanto problema assim.

Isso porque com as televisões “Alta Resolução (HD)” tem facilitado o entendimento.

É simples, resolução significa a qualidade que vemos na impressão.

Quanto mais alta, mais nítida.

E mais bonito seu material também : )

Por isso é comum você ouvir ao contratar uma gráfica: envie sua arte em alta resolução.

Saiba como verificar a resolução de sua arte

 

A dificuldade acontece quando é preciso descobrir a qualidade da resolução.

Na área gráfica, a resolução é medida por DPI.

É a partir deles que se determina se uma arte está em baixa, ou alta resolução.

 

300 DPI

dpi

DPI é uma sigla relacionada que significa Dots Per Inch, ou em português Pontos por Polegada.

De maneira geral, quanto maior o número de pontos dentro de uma polegada, mais detalhada e bem definida será a imagem.

Faz sentido para você?

 

Quando uma imagem está em baixa resolução, quer dizer que ela tem poucos pontos por polegadas.

Mas qual a quantidade de pontos ideal para se ter uma boa resolução?

Depende do material impresso:

  • Em materiais visualizados de perto, como panfletos, cartão de visita, cartaz, etc… A resolução ideal é de 300 DPI. Você pode até colocar 400 DPI, mas sendo bem sincero, mais que isso o olho humano não consegue diferenciar.
  • Em materiais grandes, que normalmente podem ser visto de longe, como banners e fachadas, 150 DPI já é suficiente.

 

Impressão Pixelada

pixelada

Se a resolução da arte for baixa, a impressão vai ficar pixelada.

Ou seja, cheio de quadradinhos visíveis ao olho humano.

 

VETOR e BITMAP

vetor e bitmap

Esse assunto é bem complexo.

Vou tentar simplificar:

VETOR é formado por informações matemáticas do computador.

Tá, tá, tá… prometi explicar tudo de maneira fácil.

Juro, estou sendo descomplicado : )

Bem, na prática significa que imagens em VETOR você pode aumentar e diminuir sem perda de qualidade (resolução).

Isso porque quando você aumenta um vetor, o computador apenas recalcula essas informações matemáticas e pronto. (lembra dos gráficos cartesianos da professora Terezinha? É isso!)

 

Diferente de imagens BITMAP

Essas são formadas por pixel (pontos de informação).

Quando você aumenta uma imagem BITMAP por exemplo, você aumenta a sua área.

Mas…

você continua com a mesma quantidade original de pixel da imagem.

E isso faz com que a densidade de pontos por polegada fique menor.

Ou seja, diminua o número de DPI.

“Eu entendo, mesmo explicando de modo simplificado não é algo realmente fácil.”

Mas se você está acompanhando até agora, nessa altura do campeonato você já consegue deduzir que:

aumentar uma imagem BITMAP faz diminuir o seu número de DPI, e por consequência a resolução (qualidade) da imagem também diminui.

 

É por isso que VETOR é mais prático que BITMAP.

Logotipo (marcas) são normalmente desenvolvidos em VETOR.

Mas é comum o cliente ter o logo em JPEG ou PNG (que são BITMAP).

Isso porque para visualizar um arquivo VETOR você precisa de programas específicos, que normalmente somente designers tem. (como CorelDraw ou Illustrator).

Opte, sempre que possível, por enviar artes e logos em vetor ; )

 

Sangras e Margens Internas

sangra e margem interna

Esses termos se referem à arte e ao cuidado que você precisa ter para que seu material seja cortado corretamente.

SANGRAS são excessos de artes. Ou seja, você desenvolve sua arte um pouco maior do que o real tamanho desejado.

Isso tudo para que na hora do corte, a gráfica corte o seu material um pouco para dentro, evitando sobrar margens brancas.

Já a MARGEM INTERNA é uma margem imaginária de segurança para dentro do seu material. As informações importantes são colocadas mais para dentro de sua arte, para a guilhotina não cortá-las acidentalmente.

Temos um artigo completo sobre Sangra e Margem Interna, caso queira saber mais.

 

Transformar Fontes em Curvas

fonte em curva

Ainda sobre arte, pode acontecer de você se deparar com o termo:

  • Transformar Fontes em Curvas.

Para você digitar uma letra no seu teclado e ela aparecer no seu monitor, você precisa ter instalado uma Fonte em seu computador.

Acontece que se essa mesma fonte não estiver instalada no computador da gráfica ela vai desconfigurar a aparência da letra na hora da impressão.

Para evitar isso, você Transforma as Fontes em Curvas.

A fonte “deixa” de ser uma informação vinculada ao arquivo de Fonte e se transforma em um desenho vetorial.

Sendo um desenho, ela vai ser igual em qualquer computador.

Saiba como fazer para Converter Fontes em Curvas

 

Acabamentos

acabamentos

São processos realizados após a impressão.

O mais comum é o Refile: corte do material utilizando a guilhotina.

Já alguns acabamentos trabalham o impresso, como : dobra, picote, corte especial, blocagem…

Outros acabamentos são colocados em cima do papel: como laminação fosca ou jateada, verniz total ou local, hotstamping…

E existem também os acabamentos que complementam o material, como as hastes do banner, ilhós e cordinhas, encadernação de agenda e apostilas, grampos em revistas, etc.

Saiba como indicar acabamentos especiais em sua arte

 

Tipo de papel e gramatura

tipo de papel

Ao contratar uma gráfica, você vai se deparar com uma diversidade enorme de papel e gramatura.

Adoro esse assunto : )

O ideal é que você vá até a gráfica, e veja cada um, para saber qual você precisa.

Sobre o TIPO DE PAPEL, vou listar aqui os mais comuns:

  • sulfite: é o mais conhecido. Você já viu um sulfite em folhas de caderno, papel timbrado, receituários, provas, folha de impressoras comuns. Tem como características ser áspero dos dois lados, para facilitar a escrita. 
  • couché: é um papel liso, normalmente utilizado para impressos promocionais. É o mais comum em panfletos, cartões, cartazes, por apresentar uma impressão mais nítida.
  • reciclado: é um papel parecido com o sulfite, mas com uma cor mais bege.
  • duodesign: tem como característica ser liso como o couché em um dos lados, e áspero como o sulfite no outro lado. Comumente utilizado em cartão postal e convites.

 

Mas o que significa GRAMATURA do papel?

É o peso do papel (medido em gramas) dentro de uma área específica (no caso m2).

Uma gramatura 170g/m2 significa que:

  • Se você tiver um papel 1x1m, ele vai pesar 170g

Na prática, o que isso interessa para você?

Quanto maior a gramatura, maior sua espessura.

E maior a sensação de grossura, firmeza, rigidez.

 

Por isso cartão de visita é feito em gramatura 250g ou 300g.

São mais espessos que panfletos, que normalmente são feitos 90g ou 115g.

DETALHE: os panfletos da AGrafica são impressos em papel de gramatura 170g.

Isso porque a gente quer trazer um grande diferencial na divulgação do seu  negócio.

Mas… voltando ao assunto…

Existem mais opções de papel do que o seu velho e bom papel de escritório A4.

Por sinal, A4 não é tipo de papel, e sim TAMANHO de papel.

 

A4, A5 e outros formatos.

formatos A3 A4 A5

Essas siglas representam tamanhos de papel.

Sobre esse assunto: é isso que você precisa saber : )

Mas se quiser conhecer o tamanho exato de cada um, lá vai:

  • A3 = 42×29,7 cm (usado em cartazes)
  • A4 = 21×29,7 cm (usado em folhas de escritórios)
  • A5 = 21×14,8 cm (tamanho da maioria das agendas)
  • A6 = 10,5×14,8 cm (tamanho comum de uma fotografia)

E não, você não percebeu errado.

Conforme aumenta o número após a letra A, o formato do papel diminuiu pela metade.

Não é coincidência ; )

Existem várias nomenclaturas para formatos de papel, como papel ofício, DL, e outros.

Mas os mais usados são os A e seus números.

 

Cores RGB e CMYK

RGB CMYK

Esse é outro termo que você vai escutar ao ter intenção de contratar uma gráfica.

Seguinte: para artes que serão impressas, utilize cores CMYK.

É isso : )

 

Ah já sei, se for muito simples também não ajuda, certo?

ok, ok, ok…

 

Cada letra dessas siglas representa uma cor.

RGB (Red, Green, e Blue) São cores luzes, na qual a mistura de todas elas gera o branco. Utilizados em monitores, televisores, celulares, etc.

CMYK (Cyan, Magenta, Yellow e Black) São cores pigmentos, na qual a mistura de todas elas gera o preto. Utilizado para impressões gráficas.

 

Seu monitor exibe para você as cores em RGB.

Mas você deve preparar e enviar sua arte utilizando as cores CMYK.

Assim, o seu computador (em RGB mesmo) vai “tentar” reproduzir como ficará a sua cor CMYK (pigmento) após impressa no papel.

Digo tentar, porque na prática uma cor no monitor nunca fica igual a cor impressa.

Isso acontece porque cada monitor tem uma configuração. E além disso, na hora da impressão muita coisa pode variar, como tipo de papel, quantidade de tinta, etc

 

Mas… como já disse antes:

para artes que serão impressas, utilize cores CMYK.

Caso já tenha iniciado sua arte em RGB, veja aqui Como Converter Cores RGB para CMYK

 

Conclusão

Nem sempre é fácil explicar termos técnicos de uma maneira que todos possam entender.

Mas espero, sinceramente, que tenha conseguido atingir o objetivo dessa missão com sucesso.

Se ficou alguma dúvida, ou tiver mais algum termo que seja complicado e que precise ser desmistificado, deixe seu comentário e adiciono nesse artigo a explicação.


Outros Artigos que você pode gostar
Panfletos funcionam?
Deixe um comentário
{"email":"E-mail inválido","url":"Endereço web inválido","required":"Preencha os campos"}